EUA oferece 12 milhões de dólares por informações sobre organização Trem de Aragua

Os Estados Unidos sancionaram, nesta quinta-feira (11), o Trem de Aragua, uma organização criminosa internacional de origem venezuelana, e ofereceram até 12 milhões de dólares (65 milhões de reais) por informações que levassem à prisão dos seus líderes, informou o Departamento do Tesouro.

"A designação hoje do Trem de Aragua como uma importante organização criminosa transnacional destaca a crescente ameaça que [ele] representa para as comunidades americanas", disse o subsecretário de Terrorismo e Inteligência Financeira, Brian Nelson, em um comunicado.

O Trem de Aragua foi criado em uma prisão venezuelana, mas nos últimos anos sua teia se espalhou por outros países da América Latina e pelos Estados Unidos.

Segundo o Departamento do Tesouro, "representa uma ameaça criminosa mortal em toda a região".

A organização aproveita suas redes transnacionais para traficar pessoas, forçando-as a se endividar, e para a exploração sexual de mulheres e jovens migrantes.

Quando as vítimas tentam escapar, "matam-nas e divulgam as suas mortes como uma ameaça a outros", diz o comunicado.

O 'Tren de Aragua' também desenvolveu "fontes adicionais de renda através de uma variedade de atividades criminosas, como mineração ilegal, sequestro, tráfico de pessoas, extorsão e tráfico de drogas ilícitas como cocaína e MDMA", afirmou o governo americano.

À medida que se expande, a organização infiltra-se "nas economias criminosas" de vários países sul-americanos, onde realizam operações financeiras e lavam ativos através de criptomoedas, acrescenta.

Também estabeleceu ligações com o Primeiro Comando da Capital (PCC), sujeito a sanções dos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Ao mesmo tempo, o Departamento de Estado anunciou recompensas totalizando até 12 milhões de dólares por qualquer informação que levasse à prisão ou condenação de vários líderes do Trem de Aragua "por conspiração para participar ou tentativa de participação no crime organizado transnacional".

Como resultado das sanções, são bloqueados todos os bens e interesses em bens vinculados à organização que estejam localizados nos Estados Unidos ou que estejam em posse ou controle de americanos.

erl/dg/jmo/dd 

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes