Junta militar 'tenta destruir' o país, afirma relator especial da ONU

A junta militar que governa Mianmar "tenta destruir" um país "que não pode controlar", alertou nesta quinta-feira (11) o relator especial da ONU para esta nação do sudeste asiático, cenário de um golpe militar em 2021.

Os confrontos entre o Exército e uma aliança de grupos armados vinculados a minorias étnicas revelaram o fracasso de uma trégua negociada pela China em janeiro.

"A junta (...) está perdendo tropas, perdendo instalações militares, está literalmente perdendo território", afirmou o relator especial da ONU, Tom Andrews, a uma comissão parlamentar em Bangcoc, capital da vizinha Tailândia.

"Quase parece que a junta tenta destruir um país que não consegue controlar", alertou.

A ONU e grupos de defesa dos direitos humanos acusam o Exército de atacar civis suspeitos de apoiar a oposição, com bombardeios contra escolas, hospitais e mosteiros. 

No poder desde o golpe de Estado de 2021 contra Aung San Suu Kyi, os generais mostraram recentemente sinais de fraqueza, após uma ofensiva coordenada de três grupos étnicos perto da fronteira com a China, em outubro.

srg/ssy/sag/zm/fp

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes