Manaus multa quem não previne reprodução do mosquito da dengue

Os donos de 70 imóveis de Manaus foram multados nos últimos três meses de 2015, porque as suas instalações apresentaram condições favoráveis à proliferação do aedes aegypti. O mosquito transmite a dengue, a febre chikungunya e o zika vírus. As multas podem chegar a R$ 37 mil. A definição do valor depende do número de criadouros e larvas do mosquito encontrados no local.

Segundo o diretor do Departamento de Vigilância Sanitária de Manaus, Marco Fabris, a fiscalização foi maior nos imóveis considerados de alto risco para a doença como terrenos baldios e oficinas; ferros-velhos, áreas em construção e condomínios.

"Esses imóveis estão identificados. São chamados de PEs, Pontos Estratégicos, onde os agentes de endemias sempre fazem a fiscalização e constatam a presença de criadouros. O agente vai ao local a cada 15 dias. Se ele constata que não há melhora, a vigilância é acionada. Ela vai ao local e faz um auto de infração para aquele responsável", explicou.

O proprietário pode recorrer da multa. Em caso de reincidência, o valor é dobrado e a propriedade pode ser interditada. Marco Fabris ressalta que donos de residências também podem ser multados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos