Meteorologia prevê para 2016 quinto ano seguido de seca no Ceará

 Estiagem no reservatório conhecido como Açude da Pista, que abastecia moradores da comunidade Engano, no distrito de Riacho Verde, em Quixadá, sertão central do Ceará (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Ceará deve ter quinto ano de estiagem. Na foto, o Açude da Pista, que abastecia moradores da comunidade Engano, no distrito de Riacho Verde, em Quixadá, sertão central do Ceará Fernando Frazão/Agência Brasil

O prognóstico para os meses de fevereiro, março e abril mostram que 2016 tende a ser o quinto ano seguido de seca no Ceará. O cenário climático apresentado hoje (20) em Fortaleza pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) indica probabilidade de 65% para a ocorrência de chuva abaixo da média histórica.

Para chegar a essa probabilidade, a Funceme considera a atuação do fenômeno El Niño - que provoca o aquecimento anormal das águas do oceano Pacífico equatorial. Segundo o presidente da fundação, Eduardo Sávio Martins, atualmente o fenômeno está com forte intensidade. "O cenário posto para fevereiro, março e abril é muito influenciado pela forçante do Pacífico, que também gera o aquecimento da bacia norte do Atlântico e influencia negativamente a nossa região."

Desde os primeiros dias do ano, o Ceará vem tendo chuvas consideráveis, e a previsão é que elas se estendam até meados de fevereiro. No entanto, Martins esclarece que essas precipitações não têm ligação com a chamada quadra chuvosa, que vai de fevereiro a maio. Nesse caso, atua no estado um sistema chamado Vórtice Ciclônico de Altos Níveis, que é intermitente.

Alerta

A possibilidade de mais um ano de seca coloca o Ceará em alerta. Segundo o secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, as chuvas da pré-estação, até agora, conseguiram aumentar o volume de alguns reservatórios pequenos. No entanto, na maioria dos açudes e barragens que abastecem a população, o volume de água está abaixo de 30%. "O prognóstico mostra que não teremos aporte significativo nos reservatórios, mas o pouco que aportar precisa ser bem aproveitado."

De acordo com o presidente da Funceme, o governo deve buscar recursos federais para continuar perfurando poços e construindo adutoras de montagem rápida. Em 2015, mais de mil poços foram perfurados e cerca de 200 quilômetros de adutoras foram montados para levar água a cidades a partir de reservatórios onde ainda havia água. Atividades produtivas que dependem dessas águas, como culturas irrigadas e carcinicultura (criação de crustáceos), também devem continuar com restrições. Em fevereiro, a Funceme vai atualizar o prognóstico climático para ao Ceará, abrangendo os meses de março, abril e maio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos