Aposentados fazem carnaval de protesto em São Paulo

Integrantes do Sindicato Nacional dos Aposentados Pensionistas e Idosos da Força Sindical fizeram hoje (21) ato na Avenida Paulista para protestar contra as medidas do governo em relação aos aposentados e trabalhadores e chamar a atenção da sociedade para a pauta de reivindicações da categoria. A ideia é chamar a todos para repensar a situação da aposentadoria do país. Para isso, os aposentados criaram uma escola de samba e fizeram um samba-enredo que foi cantado pela "Unidos dos Aposentados" no trajeto da avenida.

As reivindicações foram representadas por oito alas - a Comissão de Frente, Ala das Reivindicações (pedindo a recomposição do poder de compra das aposentadorias, com aumento real para quem recebe acima do salário mínimo, a abertura das contas da previdência, isenção de IPTU para aposentados com baixa renda; a Ala da Saúde (a garantia da saúde pública gratuita e de qualidade , manutenção e ampliação da distribuição de remédios de uso contínuo); a Bateria (cantando o tema dos aposentados, no qual enfatizam a necessidade de mudança e o trabalho durante a vida).

Na Ala do Custo de Vida eles pedem a redução das taxas de juros, isenção do Imposto de Renda aos Aposentados; na Ala da Justiça pedem o direito de revisão do benefício para quem trabalhou e continua trabalhando, revisão da poupança, correção do FGTS, revisão do PIS; na Ala das Pensionistas, protestam contra as medidas do governo que alteraram as regras de concessão dos benefícios às viúvas; e na Ala da Juventude e dos Futuros Aposentados mostram que os trabalhadores atuais terrão que conviver com as aposentadorias no futuro.

"Este é um carnaval de protesto porque nós já sambamos 35 anos para aposentar, depois que nos aposentamos temos que continuar sambando para sobreviver, porque são políticas e políticas de arrocho em cima dos aposentados. Por isso, estamos aqui demonstrando toda a nossa insatisfação", disse o presidente do sindicato, Carlos Ortiz,

Segundo ele, a pauta foi entregue há tempos para o governo. "Em fevereiro, estaremos na Câmara mostrando ao governo toda a nossa insatisfação, no momento em que começarem as negociações. Temos uma vida inteira de sofrimento e não podemos continuar sendo destratados pelo governo ou sendo tratados como se não existíssemos ou como se a culpa de tudo no país fosse da aposentadoria".

Os aposentados caminharam até o Museu de Arte de São Paulo (Masp), onde fizeram um ato para encerrar a manifestação. De acordo com a organização, cerca de 1,2 mil pessoas participaram. A Polícia Militar não informou o número de participantes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos