Bolsas de Valores da Ásia fecham no vermelho mais uma vez

Yuan (Divulgação/Banco Popular da China)

Para mostrar liquidez, o Banco do Povo da China injetou 400 bilhões de yuans no sistema financeiroBanco Popular da China

Mais uma vez, as bolsas asiáticas apresentaram quedas expressivas nesta quinta-feira (21). Os motivos para a retração de hoje ainda estão ligados às dúvidas sobre a força da economia da China - que teve o pior desempenho em 25 anos - e a forte queda no preço do barril de petróleo.

A Bolsa de Tóquio teve queda de 2,43%, em Xangai a retração foi de 3,22% e Hong Kong caiu 1,39%. O que mais chamou a atenção foi que, pela primeira vez desde 1998, o principal índice da Bolsa de Hong Kong caiu abaixo do valor do patrimônio líquido ("net asset"). Analistas dizem que esse é um sinal claro de que o dinheiro está saindo da praça financeira conhecida como uma das economia mais abertas do mundo.

"Nos mercados, a situação de momento é de muita instabilidade e há muita preocupação", disse um analista de Tóquio à agência especializada Bloomberg.

Para mostrar liquidez e dar um sinal positivo ao mercado, o Banco do Povo da China (PboC, o Banco Central) injetou 400 bilhões de yuans (US$ 60,79 bilhões) no sistema financeiro. Essa é a terceira vez na semana que dinheiro do governo é colocado no mercado.

A medida quer prover liquidez antes do feriado do Ano-Novo Lunar no país, que fecha os mercados por dias. Apesar dos problemas na Ásia, as Bolsas da Europa abriram em níveis estáveis, com média de alta de 1%.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos