Governo do Haiti mantém segundo turno das eleições presidenciais no domingo

O governo do Haiti confirmou a manutenção das eleições presidenciais no domingo (24) para evitar o risco de o país mergulhar "no caos", apesar da recusa da oposição a participar e dos receios de violência e incertezas da comunidade internacional.

"Desde que tomei posse em 2011, sempre disse que iria partir em 7 de fevereiro de 2016", disse o presidente Michel Martelly em discurso à nação nessa quinta-feira (21). "É por isso que queremos que a data de 24 de janeiro seja respeitada. As eleições devem ser realizadas e serão, sob a ordem e a disciplina", acrescentou o chefe de Estado.

A oposição denuncia há dois meses "um golpe de Estado eleitoral", fomentado por Martelly, que não pode candidatar-se a um segundo mandato consecutivo em virtude da Constituição.

No primeiro turno eleições, em 25 de outubro, o candidato apoiado pelo governo Jovenel Moïse obteve 32,76% dos votos, contra 25,29% de Jude Célestin. Célestin, que não faz campanha, disse segunda-feira (18) à agência France Presse que se recusa a participar da votação de domingo.

A Comissão Independente de Avaliação Eleitoral - criada a pedido da oposição - concluiu que a eleição de 25 de outubro foi "afetada por irregularidades".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos