Oito detidos na manifestação contra aumento de tarifas são liberados

As oito pessoas detidas durante a manifestação de ontem (21) em São Paulo, contra o aumento das tarifas no transporte público, foram liberadas, informou a Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP). Por depredação, o grupo foi conduzido pouco antes do início do protesto, da Estação Liberdade do Metrô. Eles foram levados ao 1º Distrito Policial.

Na manifestação, a Polícia Militar utilizou bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha contra os ativistas na Praça da República, região central da capital. O movimento Passe Livre informou, nas redes sociais, que ao menos 17 pessoas ficaram feridas, algumas por estilhaços de bombas, e que outras sofreram com a intoxicação por gás lacrimogêneo.

Os ativistas pretendiam seguir com a passeata até a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, no Ibirapuera, mas a polícia não permitiu. Em nota, a secretaria informou que a ação foi necessária, "após os ativistas tentarem furar o bloqueio montado na Praça da República".

A SSP criticou o fato de o trajeto ter sido divulgado menos de duas horas antes do início do ato. "A comunicação prévia é essencial para que o Poder Público faça o remanejamento necessário das linhas de ônibus e do trânsito, garantindo, numa cidade com quase 12 milhões de habitantes, não só o direito dos que se manifestam, mas também o direito de ir e vir daqueles que não participam do protesto".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos