Estados Unidos pedem fim da violência no Haiti e conclusão das eleições

Os Estados Unidos pediram hoje (24) ao governo e a todos os atores políticos do Haiti que rejeitem os atos de violência ocorridos no país e dialoguem para concluir de forma pacífica o processo eleitoral, que foi suspenso sexta-feira (22).

"Os Estados Unidos, junto da comunidade internacional do Haiti, apelam ao governo haitiano, às suas instituições e aos atores políticos para que rejeitem a violência e a deem os passos necessários para eleições pacíficas que escolham um novo presidente e os restantes assentos parlamentares, como manda a Constituição", disse neste domingo (24) o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Mark Toner, em comunicado.

Na nota, Toner afirmou que os Estados Unidos esperam que as pessoas responsáveis pela organização, financiamento ou participação na intimidação eleitoral e na violência no país sejam levadas à Justiça, de acordo com a legislação haitiana.

Segundo o comunicado, os Estados Unidos reafirmam ainda o seu apoio à realização de "eleições credíveis, transparentes e seguras que reflitam a vontade do povo haitiano".

"A intimidação eleitoral, a destruição de propriedade e a violência são inaceitáveis e vão contra os princípios democráticos e as leis do Haiti, assim como contra os valores expressos na Carta Democrática Interamericana", afirmou Mark Toner.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos