Malásia detém sete suspeitos de pertencer ao Estado Islâmico

A polícia da Malásia deteve sete pessoas suspeitas de pertencer ao grupo extremista Estado Islâmico e que estariam preparando vários atentados em lugares públicos no país, informa hoje (25) a imprensa local.

As detenções foram feitas em vários pontos do país, e a polícia apreendeu também munições, livros sobre extremismo islâmico e propaganda do grupo, afirmou o chefe da polícia, Khalid Abu Bakar, nesse domingo à noite.

"Foram detidos numa operação especial que começou na sexta-feira [22]. Acreditamos que os suspeitos planejavam ataques em lugares estratégicos no país", disse Khalid, citado pelo diário The Star.

Segundo ele, um dos detidos recebeu ordens de Bahrun Naim, o indonésio considerado o cérebro do atentado deste mês em Jacarta, em que morreram oito pessoas, incluindo os quatro terroristas.

Após as detenções, a unidade do Estado Islâmico na Síria, formada por indonésios e malaios, chamada Katibah Nusantara, divulgou um vídeo em que prometeu vingança, segundo o mesmo jornal.

A polícia malaia já deteve mais de uma centena de pessoas por suspeita de colaboração com o Estado Islâmico, incluindo cerca de 50 malaios.

A Malásia tem uma população de quase 30 milhões de habitantes, em que 61% são muçulmanos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos