Queda de receitas e pagamento de passivos levaram ao déficit das contas públicas

A redução da arrecadação de tributos, em ano de queda da atividade econômica, e o pagamento de passivos do governo federal a bancos públicos levaram ao déficit recorde nas contas públicas em 2015.

De acordo com dados do Banco Central (BC) divulgados hoje (29), o déficit primário, receitas menos despesas, sem considerar os gastos com juros, chegou a R$ 111,249 bilhões, o pior da série histórica iniciada em 2001. Esse déficit correspondeu a 1,88% de tudo o que o país produz - o Produto Interno Bruto (PIB).

"Houve, por um lado, uma redução na arrecadação de impostos do governo em função do ritmo de atividade econômica observado em 2015, não obstante uma redução de gastos do setor público. Tivemos neste ano o pagamento de R$ 72,4 bilhões referentes aos passivos específicos que estavam sob análise do TCU [Tribunal de Contas da União]", disse o chefe adjunto do Departamento Econômico do BC, Fernando Rocha.

Mesmo com o resultado negativo, o setor público cumpriu a meta ajustada para o ano, que era de déficit de até R$ 115,8 bilhões.

Rocha acrescentou que "o melhor da política fiscal é mostrar uma trajetória controlado do endividamento" e que as autoridades fiscais do governo estão atuando para retomar a trajetória de geração de superávit primário.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos