Adele proíbe suas músicas na campanha de Trump

A cantora britânica Adele não quer que o multimilionário norte-americano Donald Trump, aspirante à candidatura presidencial republicana, utilize as suas músicas em ações eleitorais.

O polêmico empresário, cujo slogan de candidatura é Vamos tornar a América grande de novo, utiliza a música Rolling In The Deep, um dos grandes êxitos da cantora britânica.

"Adele não deu autorização para que a sua música seja utilizada em qualquer campanha política", afirmou o porta-voz da cantora.

Durante um comício de Trump em Lexington, na Carolina do Sul, o conhecido tema da cantora britânica começou a tocar quando o empresário entrou no palco para fazer um discurso.

Não é a primeira vez que o magnata, que tem gerado polêmica devido a comentários anti-imigração e islamofóbicos, tem problemas com as músicas escolhidas para as suas ações eleitorais.

No ano passado, o vocalista dos Aerosmith, Steven Tyler, pediu à equipe da campanha para parar de usar a canção do grupo Dream On.

Os também norte-americanos R.E.M divulgaram um comunicado em 2015 para proibir a utilização do tema It's the End of the World por Donald Trump.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos