Brasilianas.org discute desenvolvimento da indústria brasileira de defesa

O programa Brasilianas.org discute hoje (1°) a situação da indústria brasileira de defesa, sua influência no desenvolvimento de tecnologia e inovação e os impactos dos cortes orçamentários do governo, no setor, no ano passado.

Participaram do programa o coronel Armando Lemos, diretor técnico da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde); Leonel Fernando Perondi, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e Ronaldo Carmona, pesquisador do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (USP), especialista em estratégia de defesa e de industrialização.

"[Os cortes] foram muitos pesados, os grandes programas que são os que movimentam bastante a indústria de defesa, eles estão estagnados ou diminuíram bastante o seu ritmo. Em consequência, as demandas para a indústria também. Isso tem causado grandes problemas", disse o coronel Armando Lemos. "Isso fez com que o governo passasse também a incentivar ainda mais a exportação de material, para tentar fazer face a esse período. Hoje, em termos percentuais, acredito que 20% do setor exporta".

De acordo com Leonel Fernando Perondi, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as crises e as flutuações de Orçamento também geram problemas nos programas espaciais. No entanto, como os programas geralmente são de longo prazo, eles têm capacidade de absorver os cortes.

"Essas crises e as flutuações geram sempre grandes problemas. Nós qualificamos um grupo grande de empresas nesses últimos dez anos. Mas se você não tiver demanda para essa indústria, ela vai realocar essa infraestrutura física e pessoal para outras áreas", disse.

Segundo Ronaldo Carmona, pesquisador do Departamento de Geografia da USP, especialista em estratégia de defesa e de industrialização, a estratégia nacional de defesa, lançada em 2008, rendeu resultados positivos no setor. De acordo com ele, no entanto, um novo marco deve começar a ser pensado a partir de agora.

"O lançamento da estratégia nacional de defesa de 2008 é um ponto de inflexão na retomada da consciência nacional sobre defesa e especificamente da base industrial de defesa, afinal de contas, uma das diretrizes da estrategia nacional de defesa é justamente aquela que diz sobre a reorganização da base industrial de defesa".

Carmona diz que foram dados os primeiros passos nessa diretriz da estratégia nacional de defesa. "Talvez agora o que caiba é a discussão é sobre uma segunda geração de medidas, justamente tendo em vista o balanço que se faz e a perspectiva de como seguir avançando".

O Brasilianas.org vai ao ar a partir das 23 h na TV Brasil e é apresentado pelo jornalista Luis Nassif.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos