Cantores e orquestras revivem o carnaval da era do rádio no Baile da Cinelândia

banner_carnaval_2016

Na era de ouro do rádio e nas primeiras décadas da televisão, eram os artistas famosos da época que cantavam marchinhas e sambas no carnaval. Hoje, afastados da grande mídia, eles voltam a brilhar, revivendo os antigos carnavais nas cinco noites do Baile da Cinelândia, a primeira delas nesta sexta-feira (5).

Adelaide Chiozzo, Dóris Monteiro, Ellen de Lima, Carlos José, Sonia Delphino, Paulo Marquez e Ataulfo Alves Jr. são alguns dos nomes que reencontram seu público e conquistam novos admiradores no evento promovido desde 1990 pela Riotur, a empresa de turismo do município do Rio. A ideia de criar o Baile da Cinelândia é do radialista e pesquisador da música popular brasileira Osmar Frazão.

Foi justamente por causa dos grandes cartazes da música carnavalesca que o baile a céu aberto foi concebido. Os artistas se apresentam em um palco montado em frente às escadarias da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Enquanto viveram, as cantoras Emilinha Borba (1923-2005) e Marlene (1922-2014) eram atrações frequentes no baile, fazendo o público sentir um pouco do clima do auditório da Rádio Nacional, da qual elas eram as grandes estrelas.

As orquestras Tupy e Som Nascente abrem a festa na noite de hoje, que também terá apresentações de seis cantores, entre eles Carlos José e Eymar Ferreira. Até terça-feira (9), os shows, todos gratuitos, começam às 20h, com uma média de dez atrações a cada noite. A expectativa é de um público total de mais de 60 mil pessoas.

De domingo (7) a terça-feira (9), das 13h às 19h, o palco da Cinelândia também recebe a 40ª edição do tradicional Concurso de Folião Original. As inscrições podem ser feitas no mesmo dia e as categorias são individual infanto-juvenil e individual adulto (domingo), grupo de fantasias (segunda-feira) e grupo de clóvis (terça-feira). Foliões com destaque nos blocos de rua pela criatividade de suas fantasias disputam o concurso.

A noite desta sexta-feira também marca a retomada dos shows a preços populares no Terreirão do Samba, na Praça Onze. Este ano, o Terreirão inovou e abriu pela primeira vez no fim de semana passado, sete dias antes da abertura oficial do carnaval.

Até terça-feira, a programação contará com shows de grandes cantores de samba, entre eles Arlindo Cruz e Diogo Nogueira, e dos grupos Revelação, Pique Novo, Fundo de Quintal e Sorriso Maroto. Duas novidades prometem animar o público hoje e amanhã (6): o Samba do Trabalhador, com Moacyr Luz e o Bloco da Preta Gil.

Vizinho ao sambódromo da Marques de Sapucaí, o Terreirão do Samba conta com uma praça de alimentação. São 35 quiosques com comidas típicas. Os shows começam às 20h, com previsão de término às 5h e ingressos a R$ 15.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos