Marchinhas embalam os Esfarrapados na capital paulista

São Paulo - O Bloco Esfarrapados, um dos mais tradicionais de São Paulo, se concentra entre as ruas Conselheiro Carrão e 13 de Maio, no Bixiga (Rovena Rosa/Agência Brasil)

São Paulo - O Bloco Esfarrapados, um dos mais tradicionais de São Paulo, se concentra entre as ruas Conselheiro Carrão e 13 de Maio, no Bixiga Rovena Rosa/Agência Brasil

Sob um sol forte, muita alegria e ao som de marchinhas carnavalescas, milhares de foliões foram às ruas do Bixiga, no centro de São Paulo, acompanhar o bloco Esfarrapados, o mais antigo e tradicional da capital. Criado em fevereiro de 1947, o bloco atrai foliões de todas as idades com suas fantasias, adereços, confetes e muita espuma.

"Faço 69 anos em maio. O bloco tem a minha idade", disse a vendedora autônoma Maria Aparecida Paes, que distribuía alegria pelas ruas do Bixiga acompanhando o bloco. "Depois dos 50 anos, sempre vim para o bloco. Moro no Itaim Bibi [zona oeste], mas venho até aqui [para acompanhá-lo]. Para mim, ele é o melhor de São Paulo. Ele é muito animado, tudo de bom", falou ela à reportagem da Agência Brasil.

Para ela, a retomada dos blocos carnavalescos na capital nos últimos anos tem sido ótima. "É a oportunidade para os paulistanos curtirem melhor o carnaval e gastar pouco, sem viajar. Curtir aqui mesmo os blocos."

E tinha também muitos pais, que levaram seus filhos para curtir a festa. Caso do mecânico Tiago Rodrigues Roseira, 32 anos, que levou sua esposa e seu filho, de apenas um ano e oito meses, para conhecer o bloco que ele frequenta há anos. "Nós frequentamos todos os anos, mas ele [filho] é a primeira vez. É tradição, a gente gosta. Moro aqui no bairro e conheço todo mundo". Segundo ele, blocos de rua são uma boa diversão no carnaval. "Mistura todo mundo e não precisa ficar gastando dinheiro."

Tradição

"Este é um bloco tradicional que, em São Paulo, deu início a outros blocos. É um bloco muito antigo. Nosso som sempre foram as marchinhas de carnaval e aquela alegria. É um bloco da família", disse Jaime de Souza, diretor do bloco Esfarrapados há sete anos. "Para nós, é gratificante ver que demos início a tudo isso em São Paulo [sobre os 355 blocos deste ano]. Vemos que a cultura está se renovando."

Para aproveitar os Esfarrapados, muitos foram fantasiados. Pelas ruas do Bixiga, passaram super-heróis, macacos, índios, colombinas e palhaços. Um dos foliões criou até mesmo um personagem inusitado. Vestido de He-Man, mas com a máscara do deputado Jair Bolsonaro, o folião não revelou sua verdadeira identidade, mas apelidou sua fantasia de Bolsoneli. Incorporando o personagem que ele criou, o folião falou à reportagem que veio ao carnaval hoje para "liberar seus fantasmas". "Venho aqui há sete anos e nunca tive vontade de me revelar. Sempre ficava escondido na minha pose de machão. Mas hoje saí do Congresso e vim", falou ele, rindo.

Blocos

Segundo a prefeitura, entre segunda-feira (1º) e ontem (7), cerca de 265 mil pessoas participaram do carnaval de rua. Até por volta das 16h de ontem, a prefeitura informou que a sala de situação de Saúde e a Central 192 não recebeu chamados de gravidade relevante referente ao Carnaval de Rua. Desde às 17h de sábado (6), apenas dois casos mais graves foram registrados, um deles devido à queda de uma pessoa de um carro alegórico da X-9 Paulistana. O paciente foi levado à Santa Casa. O estado de saúde dele não foi informado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos