Pesquisa investiga se outros fatores associados ao Zika causam microcefalia

Pesquisadores dos Estados Unidos e do Brasil vão investigar se o vírus Zika provoca sozinho a microcefalia ou se a malformação ocorre quando o agente está combinado com outros fatores.

"[Vamos descobrir se a causa do aumento de microcefalia] é o vírus Zika só ou associado a alguma coisa, ou é o virus Zika no organismo que tem essa ou aquela predisposição. São questões em aberto", disse o ministro da Saúde, Marcelo Castro, em entrevista antes da abertura de encontro entre pesquisadores e representantes dos governos brasileiro e norte-americano na sede da Organização Pan-Americana da Saúde, em Brasília.

A pesquisa está sendo desenvolvida na Paraíba, em parceria entre técnicos do governo local e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças Transmissíveis (CDC) dos Estados Unidos.

A reunião de hoje (18) juntou o Instituto Butantan, o laboratório Biomanguinhos, o Instituto Evandro Chagas, os ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Saúde, além de representantes norte-americanos do CDC, do Departamento de Saúde e da Food and Drug Administration (FDA).

Os principais pontos a serem discutidos pelas instituições são o desenvolvimento de uma vacina contra o vírus Zika, de tratamento para a doença, de melhores tecnologias para o diagnóstico e o combate ao Aedes aegypti.

Na abertura da reunião, a embaixadora dos Estados Unidos do Brasil, Liliana Ayalde, disse que infecções não respeitam barreiras e por isso os países devem atuar juntos e coordenadamente para combater a transmissão de doenças como a zika.

*Colaborou Paula Laboissière

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos