Rendimento do trabalhador mantém-se relativamente estável

O rendimento médio real habitual do trabalhador brasileiro ficou em R$ 1.899 no trimestre encerrado em novembro de 2015. O valor é considerado estatisticamente estável, se comparado aos rendimentos de agosto de 2015 (R$ 1.913, já corrigido pela inflação) e de novembro de 2014 (R$ 1.923, também corrigido pela inflação).

O dado é a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada hoje (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O rendimento manteve-se estável para os trabalhadores com carteira assinada (R$ 1.817) tanto em relação a agosto de 2015 quanto na comparação com novembro de 2014. Entre os trabalhadores sem carteira assinada, o rendimento médio de R$ 1.132 é 6% maior do que o observado em agosto e estável em relação a novembro de 2014.

Com renda média de R$ 750, os trabalhadores domésticos tiveram manutenção do poder de compra em relação a agosto de 2015, mas tiveram perda de 2,4% na comparação com novembro do ano anterior.

Todos os dez grupamentos de atividades analisados pela pesquisa tiveram estabilidade no rendimento, na comparação com agosto de 2015. Em relação a novembro de 2014, houve queda nos segmentos do comércio e de reparação de veículos (-4,1%) além dos já citados serviços domésticos (-2,4%). O restante manteve-se estável.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos