Estado Islâmico reivindica atentados na Síria, que causaram mais de 60 mortes

O grupo extremista do Estado Islâmico reivindicou hoje (21) o duplo atentado suicida perto de um santuário no sul de Damasco, na Síria, que fez pelo menos 62 mortos, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A organização tinha adiantado que houve quatro explosões na zona de Sayida Zeinab, de maioria xiita, na periferia sul de Damasco.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos tinha dado conta de pelo menos 31 mortes, mas admitiu que o número podia aumentar, tendo em conta a gravidade dos feridos.

O Observatório disse que duas das explosões foram provocadas por terroristas suicidas e que as outras duas tiveram origem num carro-bomba ou noutro artefacto.

A TV estatal da Síria, por seu lado, noticiou que "os ataques aconteceram quando os alunos estavam a sair da escola", acrescentando que "vários foram mortos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos