Número de homicídios cai em janeiro na capital paulista

Em janeiro, o número de homicídios dolosos (com intenção de matar) na cidade de São Paulo caiu 40,21% na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo balanço divulgado hoje (23) pela Secretaria de Segurança Pública, houve 58 homicídios em janeiro deste ano, contra 97 ocorrências em janeiro do ano passado. Este é o menor número para janeiro desde 2001, quando a estatística começou a ser divulgada. Esta é a primeira vez que o número de casos de homicídios fica abaixo de 80 registros.

Além da queda no número de casos, também caiu o número de vítimas de homicídios [em geral, o número de vítimas é maior que o número de casos porque em uma só ocorrência podem ocorrer várias vítimas]. Em janeiro deste ano, houve 59 vítimas de homicídios, enquanto no ano passado foram 102.

De acordo com o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, a redução dos casos de homicídio na cidade de São Paulo é resultado de uma polícia mais ostensiva. "Nós temos mais policiamento e um policiamento mais inteligente em relação a homicídios", disse Moraes.

Segundo o secretário, o policiamento tornou-se agora mais ostensivo nos lugares onde há mais homicídios. Ele disse que um dos fatores que contribuíram para a queda  foi uma ação melhor no combate à violência doméstica, responsável por 28% dos casos de homicídios. "Atacamos isso também", ressaltou o secretário.

Crime organizado

Moraes negou que a queda tenha sido provocada por mudança na metodologia estatística ou por causa do crime organizado - há especialistas em segurança pública que afirmam que a diminuição dos registros deve-se à organização do crime, tal como o surgimento do Primeiro Comando da Capital (PCC) que proíbe seus integrantes de cometer determinados crimes para não chamar a atenção da polícia.

"Essa é uma teoria esdrúxula [sobre os crimes terem caído por causa do PCC]. Há um importante artigo que foi escrito recentemente e publicado no Estadão [jornal O Estado de S. Paulo] questionando que parceria doida é essa que faz com que todos os índices caíam, inclusive o de roubos. Isso é algo depreciativo que se faz em relação à segurança pública", disse o secretário.

Também diminuíram os estupros, que passaram de 181 para 168 casos em janeiro deste ano, e os roubos, em geral, que somaram 12.645 casos, 536 a menos que em janeiro de 2015. "Isso vem mostrando que a segurança pública ainda tem muito que fazer, mas que estamos no caminho certo. Conseguimos finalizar 2015 com todos os índices na capital e no estado melhores do que em 2014 e já começamos 2016 com ótimos índices na capital", disse o secretário.

O número de latrocínios [roubos seguidso de morte], no entanto, manteve-se estável, com nove ocorrências, enquanto o número de furtos em geral cresceu 2,56%, passando de 13.277 casos em janeiro de 2015 para 13.617 este ano.

O balanço referente aos dados de todo o estado deve ser divulgado na próxima quinta-feira (25).

O título foi corrigido às 16h52. O que caiu em janeiro foi o número de homicídios, e não o de municípios

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos