Edinho: situação em relação ao Aedes estará mais favorável na Olimpíada

Rio de Janeiro - O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva durante cerimônia que marca o início das transmissões dos canais do Poder Executivo na TV digital aberta n

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, em entrevista ao programa Bom Dia, MinistroTânia Rêgo/Agência Brasil

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva, disse hoje (24) que o Brasil chegará a uma "situação favorável" em relação ao mosquito Aedes aegypti, vetor do vírus Zika, da dengue e da febre chikungunya, durante a Olimpíada, que começa em agosto no Rio de Janeiro.

"Não tenho dúvida de que vamos chegar ao mês de junho, julho em uma situação muito favorável em relação ao Aedes aegypti e, consequentemente, à guerra contra o vírus Zika, não só pelas ações que estão sendo tomadas mas também por ser um período em que diminui o índice de reprodução do mosquito. Do ponto de vista da Olimpíada, a situação será muito favorável", afirmou Edinho, que participou do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços.

Segundo ele, as ações do governo são suficientes para proteger turistas e atletas que visitarem o Brasil durante os Jogos Olímpicos. "O governo, junto com a prefeitura do Rio de Janeiro, oferecerá todas as condições favoráveis para que os turistas cheguem ao Rio e ao Brasil com risco muito baixo de contaminação pelo Aedes aegypti e o vírus Zika", acrescentou.

Perguntado sobre a possibilidade de turistas trazerem novas doenças ao Brasil, Edinho reconheceu que é muito difícil garantir que não haja entrada de novos vírus em eventos que recebem grande número de turistas como a Olimpíada e a Copa do Mundo. "É impossível dar garantia de que nas grandes mobilizações as pessoas não tragam um vírus para o país. Por isso, é importante estar estruturado para que isso não se torne uma epidemia".

Linha 4 do Metrô

O ministro afirmou ter "plena confiança" de que as obras da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro serão entregues a tempo da Olimpíada. "Não tenho dúvida de que o governo do Rio, a prefeitura do Rio, em parceria com o governo federal, darão conta de entregar as obras a tempo para que a população tenha facilidade de locomoção".

Na semana passada, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, confirmou que estuda um plano de contingência um dia depois de manifestar preocupação com a conclusão das obras. A alternativa estudada pela prefeitura é a utilização do BRT, que seguiria com corredores exclusivos para ônibus até a zona sul, caso o metrô não fique pronto a tempo dos Jogos Olímpicos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos