PUBLICIDADE
Topo

Ataques da oposição são para impedir candidatura de Lula em 2018, diz Rui Falcão

26/02/2016 19h21

Os constantes ataques ao Partido dos Trabalhadores (PT) por parte de setores da oposição têm como objetivo impedir uma possível candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República em 2018. A avaliação é do presidente nacional do PT, Rui Falcão, que participou nesta sexta-feira (26), no Rio, de reunião do diretório nacional do partido. Neste sábado (27), haverá um encontro em comemoração aos 36 anos do PT, que contará com a participação de Lula. A participação da presidenta Dilma Rousseff, que está em viagem oficial ao Chile, não está confirmada.

 

Rio de Janeiro - O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, entre o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, e o secretário-geral do partido, Romênio Pereira, na reunião do Diretório Nacional do

Rio de Janeiro - O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, entre o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, e o secretário-geral do partido, Romênio Pereira, na reunião do Diretório Nacional do partido Fernando Frazão/Agência Brasil

"Há em gestação no país um estado de exceção no interior do estado de Direito. Nunca nenhum governo criou tantos institutos e leis destinados a combater a corrupção como o nosso. Entretanto, se faz hoje um combate à corrupção de forma seletiva, em uma cortina de fumaça cujo objetivo é impedir uma eventual candidatura do Lula em 2018. É uma espécie de impeachment preventivo, temendo que o presidente Lula possa voltar em 2018, embora ele nem tenha se declarado candidato até hoje", disse Falcão, em entrevista à imprensa.

Segundo Falcão, o que mais preocupa é colocar a democracia em risco. "É algo que não vai afetar só o PT se continuar assim, pode afetar qualquer cidadão ou cidadã brasileiros. É preciso defender o estado democrático de Direito, é preciso quebrar esse clima de intolerância e ódio, que não é tradicional aqui no país. Quando você, em nome do combate à corrupção, começa a passar por cima da Constituição e dos direitos fundamentais, temos que nos voltar contra isso".

Encontro do PT

No encontro do partido, foram elaborados cinco documentos que refletem o pensamento do partido sobre temas atuais: um em defesa da Petrobras, um em defesa da democracia, um sobre as eleições, uma resolução política resumindo o encontro e um documento denominado "O futuro está na retomada das mudanças", com um programa nacional de emergência, contendo 22 sugestões econômicas.

Dentro das sugestões para a condução da economia do país, estão a redução da taxa básica de juros; a criação de um Fundo Nacional de Desenvolvimento e Emprego com parte das reservas internacionais; revitalização do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), com recomposição da carteira para R$ 70 bilhões; reajuste de 20% do Bolsa Família; adoção de regime progressivo para o Imposto Territorial Rural sobre propriedades improdutivas; extensão do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para barcos e aviões; adoção de Imposto sobre Grandes Fortunas (IGF); aceleração da integração regional da América do Sul, impulsionando o Banco do Sul; e normatização dos acordos de leniência para empresas cujos executivos ou acionistas estejam envolvidos em delitos ou casos de corrupção.

Neste sábado (27), está previsto um ato de solidariedade ao ex-presidente Lula e uma festa em comemoração ao aniversário do partido, em um dos galpões do cais do porto do Rio.