Polícia prende gangue que fraudou 126 mil carteiras de motorista no Rio

O Detran do Rio vai descredenciar as autoescolas envolvidas nas fraudes investigadas pela Polícia Civil na Operação Backdoor, que desmantelou hoje (1) uma quadrilha que fraudava o sistema de controle de aulas do departamento de trânsito.

De acordo com a polícia, pelo menos 126 mil carteiras de habilitação falsas foram emitidas pela quadrilha. Até o fim da tarde, dez suspeitos haviam sido presos, de um total de 36 acusados.

Os ex-alunos, hoje motoristas, que teriam recorrido ao esquema criminoso para não frequentar as aulas, responderão a inquérito criminal da Polícia Civil e a processo administrativo do Detran. Deverão ter a carteira de motorista cassada.

Os alunos das autoescolas citadas no inquérito, que estejam frequentando o curso regularmente, podem pedir a desvinculação dos centros de formação descredenciados e se matricular em outra autoescola, sem perder as aulas registradas.

A Operação Backdoor é consequência de uma denúncia do Detran feita a Polícia Civil, em 2013, sobre possíveis fraudes no sistema de frequência de aulas teóricas e práticas de candidatos a motorista. Em 2015, o Detran implantou um novo sistema, a fim de coibir as fraudes identificadas e dar maior segurança aos usuários.

A fraude era feita com uso de software dentro do sistema de informática do Detran, que reconhecia falsas impressões digitais dos alunos e registrava o comparecimento às aulas teóricas e práticas. O preço da carteira falsa era em média R$ 3 mil.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos