Moro manda soltar funcionária da Odebrecht presa na Lava Jato

O juiz federal Sérgio Moro mandou soltar hoje (2) a funcionária da Odebrecht Maria Lúcia Tavares, presa na Operação Acarajé, da Polícia Federal, no dia 22 de fevereiro. Atendendo a um pedido da força-tarefa de procuradores da Operação Lava Jato, Moro substituiu a prisão temporária de Maria Lúcia por medidas cautelares, como a proibição de deixar o país, mudar de endereço sem justificativa e entrega do passaporte.

De acordo com as investigações, a funcionária era responsável pelo gerenciamento da "contabilidade paralela" da Odebrecht. Nas buscas e apreensões, a PF apreendeu uma planilha na casa da funcionária, que, segundo as investigações, seria responsável pelos pagamentos ao publicitário João Santana.

Em depoimento prestado aos investigadores, Maria Lúcia afirmou que a palavra acarajé, encontrada em e-mails de funcionários da empresa, não significa propina, mas sim o quitute da culinária baiana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos