Policiais agridem mulheres do MST em Fortaleza

Cerca de 300 mulheres do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) no Ceará se reuniram na manhã de hoje (8) em frente ao Palácio da Abolição, sede do governo estadual, e foram agredidas por policiais que faziam a segurança do local.

Um vídeo gravado por uma das integrantes do ato e divulgado nas redes sociais mostra as mulheres atrás de grades de proteção. Policiais tomam uma faixa da mão de uma delas e ameaçam o grupo com cassetetes. Um deles jogou spray de pimenta nas manifestantes.

"Para nós, essa violência é inadmissível. A violência do Estado já faz parte do cotidiano. Estávamos aqui para tornar o 8 de março um dia de luta contra a violência, mas acabou sendo um dia com ação violenta por parte da polícia", desabafou Lourdes Vicente, uma das coordenadoras do MST no Ceará.

O ato fez parte de uma série de mobilizações que o movimento realiza em todo o Brasil. No Ceará, o grupo de mulheres listou como pautas prioritárias o acesso à água, a manutenção das escolas do campo e a produção de alimentos saudáveis.

Uma comissão de manifestantes foi recebida pelo governador Camilo Santana e por secretários por volta das 11 horas. Segundo Lourdes Vicente, o governador abriu um canal de diálogo para receber as demandas. A coordenadora informou que haverá novas audiências nesta tarde e também durante a semana. Em sua página no Facebook, o governador disse lamentar o episódio de violência sofrido pelas mulheres do MST e garantiu "a apuração de quaisquer excessos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos