Farc e governo da Colômbia adiam data de assinatura de acordo de paz

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pediram nessa quinta-feira (10) ao governo colombiano que seja definida nova data para assinar o acordo de paz, que estava marcada, há seis meses, para o dia 23 de março. 

"Estamos de acordo com o que disse [o presidente colombiano, Juan Manuel Santos] sobre o fato de as condições não estarem reunidas para o dia 23 de março", declarou o negociador das Farc, Joaquin Gomez, em Havana, onde as negociações ocorrem há mais de três anos.

Na quarta-feira (9), o presidente afastou a ideia de assinar "um mau acordo" só para respeitar o prazo.

O governo e as Farc, com cerca de 7.500 combatentes, segundo os números oficiais, negociam desde novembro de 2012 uma forma de acabar com mais de meio século de guerra interna.

As duas partes já firmaram vários acordos, especialmente sobre reforma agrária, a luta contra o tráfico de drogas, a participação política dos guerrilheiros e as indenizações às vítimas. Precisam ainda chegar a acordo sobre as modalidades de um cessar-fogo e o desarmamento dos guerrilheiros.

Ao fim de décadas, o complexo conflito colombiano implicou guerrilhas de extrema-esquerda, paramilitares de extrema-direita e forças armadas, em situações de violência ligadas ao tráfico de drogas, deixando mais de 260 mil mortos, 45 mil desaparecidos e 6,6 milhões de deslocados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos