Dissidentes cubanos apelam a Obama para que ajude o país a mudar radicalmente

Dissidentes cubanos apelaram hoje (19) ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para que convença o governo cubano a parar com a repressão e que este inicie uma "mudança radical" com a visita a Havana que começa neste domingo.

Ativistas na ilha, sob controle do Partido Comunista há mais de cinco décadas, deram boas-vindas à visita de Obama, a primeira de um presidente norte-americano em 88 anos.

"É uma oportunidade para a classe política do governo cubano entender que já não há mais lugar para a filosofia em que cada dissidente era classificado de traidor", afirmaram os ativisitas por meio de comunicado divulgado neste sábado.

Os dissidentes apelaram ao presidente Obama para promover a mudança, principalmente o fim da repressão e do uso de violência física contra todos os ativistas dos direitos humanos.

Obama deve encontrar-se com alguns representantes de dissidentes na terça-feira (22), embora o governo cubano já tenha afirmado que a discussão de políticas internas está "fora da mesa".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos