No Rio, crianças participam da Horinha do Planeta no Parque Lage

Horinha do Planeta faz trabalho para conscientizar crianças

O urso panda panda é o animal símbolo da organização ambientalista WWF, organizadora do evento mundialAkemi Nitahara/agência Brasil

Pela primeira vez, um evento associado à Hora do Planeta envolve as crianças na conscientização sobre o aquecimento global e a sustentabilidade. A primeira Horinha do Planeta ocorreu na manhã de hoje (19), no Parque Lage, no Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro. As crianças participaram de conversas sobre o tema, fizeram desenhos, tiveram o rosto pintado de panda - animal símbolo da organização ambientalista WWF, organizadora do evento mundial - e fizeram a Caminhada do Panda pelas trilhas do parque, acompanhadas de um animador fantasiado do bicho.

O superintendente do WWF Brasil, Henrique Lian, disse que é primeira vez no mundo que a instituição promove um evento voltado para as crianças dentro das atividades da Hora do Planeta, que ocorre há 10 anos internacionalmente e há 8 anos com adesão do Brasil. Também é a primeira vez que uma ação presencial é feita no Rio de Janeiro.

Hora do Planeta pedirá menos energia produzida com carvão, gás e diesel

Hora do Planeta pedirá menos energia produzida com carvão, gás e dieselAkemi Nitahara

"O evento foi pensado como conscientização para as mudanças climáticas. Essa estratégia de pedir para as pessoas que apaguem a luz de 20h30 a 21h30, é porque, no mundo, mudança climática está muito associada à geração de energia elétrica, que não é o nosso caso no Brasil. Então, a gente desliga a luz também, mas nós precisamos de outras ações de conscientização, como essa que é a primeira Horinha do Planeta do mundo, ou seja, uma ação de conscientização de mudanças climáticas para crianças."

O diretor-presidente da companhia de navegação Norsul - parceria do WWF no evento - Ângelo Barontine, ressaltou que a empresa participa do Clube Corporativo do WWF há 20 anos e tem a sustentabilidade como uma preocupação constante e redobrada, por todas as atividades serem feitas no mar. "Quando ele se aproximou com essa ideia aderimos de imediato. A gente é muito exigente conosco, temos essa preocupação. Ali dentro tem muito desenho que eles fizeram, uma mãe falou que a criança começa desenhando casa e o segundo desenho é de barco, então a gente acha que fechou com a nossa atividade, além da preocupação natural que todos nós temos que ter para os nossos descendentes, se não cuidar do mundo vai vir a sujeira, poluição e falta de energia."

Moradora de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a professora Luciana Lima foi ao Parque Lage pela primeira vez, com um grupo de sua cidade. Sem saber do evento específico, resolveu levar a filha para participar das atividades. "Eu também oriento ela quanto à sustentabilidade, eu não jogo óleo na pia, eu junto para trocar por detergente, falo para ela não deixar a bica aberta, economizar água."

A filha de Luciana, Larisse, 4 anos, tirou foto com o panda e disse que gostou da movimentação. Moradora de Realengo, na zona oeste, Ana Clara Lima, de 8 anos, também estava pela primeira vez no Parque Lage. "Achou muito bom, participei de uma parte das atividades e aprendi que tem que cuidar do meio ambiente. Andamos por várias trilhas no parque, no meio da floresta".

A irmã de Ana Clara, Gabriele Lima, estudante de 20 anos, contou que soube do evento pelo Facebook e resolveu participar do apagar das luzes de noite. "Achei legal, porque faz as crianças criarem uma consciência do porquê de cuidar do meio ambiente, para que futuramente a gente consega ter um ambiente minimamente habitável. A caminhada foi legal, apesar da gente ter se perdido. Já conhecia a iniciativa da Hora do Planeta, e pretendo participar hoje pela primeira vez."

Segundo o superintendente da WWF Brasil, Henrique Lian, este ano 25 capitais brasileiras se engajaram e vão apagar seus monumentos, além de 180 cidades organizando atividades. "A conscientização cresceu e ganhou importância, antes eram os secretários ou auxiliares que assinavam o termo da Hora do Planeta, agora cada prefeito assina e posta."

No Rio de Janeiro, estão previstas a adesão do Museu do Amanhã, Bondinho do Pão de Açúcar e Cristo Redentor, além do setor privado, com hotéis e restaurantes, promovendo ações de conscientização com os clientes e jantares a luz de vela. Este ano está sendo proposto o movimento nas redes sociais, com o lema Faça por você, faça pelo planeta. "Faça uma foto de uma coisa que você vez nessa hora sem luz e poste com as hashtags #horadoplaneta e #tamojunto, vai ter muitas coisas legais", convida Lian.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos