Bélgica faz um minuto de silêncio em homenagem às vítimas de atentado terrorista

Bélgica faz um minuto de silêncio para lembrar as vítimas do atentado de ontem no aeroporto da capital e em uma estação de metrô de Bruxelas que deixaram 30 mortos e mais de 200 feridos

Bélgica faz um minuto de silêncio para lembrar as vítimas do atentado de ontem no aeroporto da capital e em uma estação de metrô de Bruxelas que deixaram 30 mortos e mais de 200 feridosEtienne Ansotte/Agência Lusa

O governo belga convocou a população a fazer hoje (23) um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do atentado terrorista de ontem (22) que deixou 30 mortos e mais de 200 fedridos.

"Convido a população a fazer um minuto de silêncio ao meio-dia (8h em Brasília) de hoje, em homenagem às vítimas dos atentados terroristas de 22 de março", escreveu o chefe do Governo de Bruxelas, Rudi Vervoort, no Twitter.

Por volta do horário marcado, centenas de pessoas se juntaram no centro da cidade para lembrar, com lágrimas e gritos os atentados de ontem. "Viva a Bélgica!", ouviu-se no final da homenagem na Praça da Bolsa, no centro da cidade; na Anspach, rua exclusiva para pedestres repleta de comércio e uma das principais áreas de concentração de pessoas em Bruxelas.

Da esquerda para a direita, o primeiro-ministro belga, Charles Michel, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, ao chegarem à estação de metrô Maelbeek

Da esquerda para a direita, o primeiro-ministro belga, Charles Michel, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, ao chegarem à estação de metrô Maelbeek, alvo de um dos atentados terroristas de ontem em BruxelasEtienne Ansotte/Agência Lusa

O rei e a rainha belgas, Filipe e Matilde, assim como o primeiro-ministro belga, Charles Michel, assistiram ao evento no centro da cidade, junto à sede das instituições europeias em Bruxelas, informou o Palácio Real. Também prestaram homenagens o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker e o primeiro-ministro francês, Manuel Valls.

Ontem mesmo, a Praça da Bolsa já tinha várias mensagens escritas a giz no chão lembrando os mortos nos atentados, além de velas e flores. "O medo não vencerá" é uma das mensagens mais repetidas, havendo também apelos contra a discriminação e diversos incentivos à Bélgica e à unidade do país.

O aparato policial está bastante reforçado em toda área central da cidade, onde também estão várias dezenas de jornalistas que acompanham a movimentação local.

Na terça-feira, Bruxelas foi atingida por três explosões, duas no aeroporto internacional de Zaventem e outra no metrô, causando a morte de pelo menos 34 pessoas e ferindo mais de 200. A autoria dos ataques já foi reivindicada pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Para domingo (22), está marcada na rede social Facebook uma marcha pacífica, convocada para as 13h (11h em Brasília).

*Com informações da Agência Lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos