Taxistas que bloquearam ruas foram multados em R$ 5,7 mil, diz prefeitura do Rio

A prefeitura do Rio de Janeiro multou 180 taxistas que participaram do protesto na última sexta-feira (1º), que praticamente paralisou a cidade, em R$ 5.746 cada um. Eles foram autuados com base na Medida Provisória (MP) 699, editada no ano passado, que estipula punição a quem bloquear vias públicas,

"Foram cerca de 180 multas, com base no Artigo 253-A [da MP 699], por obstrução da via. Nós identificamos onde a obstrução deu um grande transtorno, que foi a Avenida Rio de Janeiro, próximo ao [aeroporto] Galeão, e também a Avenida Francisco Bicalho [uma das principais entradas da cidade]. Nessas vias, em casos que não obedeceram à ordem de desobstruir, foi aplicada a multa", disse o secretário de Ordem Pública do Rio, Leandro Matieli.

Editada em novembro, a MP acrescenta três artigos à Lei 9.503/1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), e teve como pano de fundo a ameaça de caminhoneiros de paralisar rodovias do país em protestos.

O Artigo 253-A estabelece nova infração, de natureza gravíssima, para a conduta de, deliberadamente, usar veículo para interromper, restringir ou perturbar a circulação na via, com penalidade de multa agravada em 30 vezes, suspensão do direito de dirigir por 12 meses e apreensão do veículo, bem como medida administrativa de recolhimento do documento de habilitação, remoção do veículo e proibição de receber incentivo creditício por dez anos para aquisição de veículos.

Rio de Janeiro - O prefeito Eduardo Paes participa da inauguração de novo trecho da orla da Baía da Guanabara (Fernando Frazão)

O prefeito Eduardo Paes (C) inaugura trecho da orla da Baía da Guanabara, em área que antes pertencia à Marinha e  era  fechada  ao  público.  Agora  o  calçadão  destina-se  a  pedestres e ciclistas  Fernando Frazão/Agência Brasil

Matieli participou neste domingo (3), ao lado do prefeito Eduardo Paes, da inauguração de um novo trecho à beira da Baía de Guanabara, em uma área pertencente à Marinha e que era fechada ao público. São 600 metros de calçadão, com deques de madeira, floreiras e jardins, onde foram plantadas árvores.

Dali o visitante poderá contemplar os navios de guerra e também prédios históricos, como o antigo Armazém do Sal e o Mosteiro de São Bento. A Marinha foi representada pelo comandante do 1º Distrito Naval, vice-almirante Leonardo Puntel.

Rio de Janeiro - Inaugurado trecho da Orla da Baía da Guanabara, antes restrito a uso militar, com espaço de lazer exclusivo para pedestres e ciclistas (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Nova  rota  permite  que  ciclistas  e  pedestres  desfrutem  de  belas  paisagens     Fernando  Frazão/Agência  Brasil

Os primeiros visitantes que conheceram o novo trecho aprovaram a obra, que prevê a ligação, ainda em junho deste ano, entre a Praça XV e a Praça Mauá, o que permitirá um trajeto contínuo desde o Recreio dos Bandeirantes até o centro da cidade, criando uma nova rota para ciclistas, com cerca de 50 quilômetros de ciclovias.

"Aqui é uma região linda. A gente vai poder pedalar dos armazéns do porto até o Recreio dos Bandeirantes, passando pela Praça Mauá, Praça XV, pelo Aterro do Flamengo, pela Urca, por Copacabana, Ipanema e pelo Leblon. Vamos pedalar junto ao mar ali, na Avenida Niemeyer, chegando em São Conrado, Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes. Se quiser, pode subir até o Vale Encantado, na Floresta da Tijuca. É sensacional", destacou o empresário de moda Salomão Mordoch, que veio conhecer o novo espaço em sua bicicleta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos