AM avalia concessão de plano de saúde para servidores da educação

Após duas paralisações dos servidores da educação do Amazonas, o governo do estado se comprometeu a avaliar a concessão de plano de saúde para os trabalhadores do setor, uma das principais reivindicações da categoria.

Em março, os servidores fizeram duas paralisações de um dia. Além do plano de saúde, os trabalhadores pedem aumento salarial e melhoria nas condições de trabalho.

Em nota, o governador José Mello diz que determinou à Secretaria de Estado de Educação (Seduc) que acelere o estudo de viabilidade sobre a concessão de plano de saúde.

Mello recebeu representantes dos trabalhadores em duas audiências na semana passada e destacou que "as negociações estão abertas para atender reivindicações possíveis", mas que já ultrapassou o "limite prudencial" da Lei de Responsabilidade Fiscal.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sinteam), Marcos Libório, considerou a resposta às paralisações um avanço.

"O governo está aberto ao diálogo e sinalizou no que diz respeito ao plano de saúde. Daqui a 15 dias a Seduc vai apresentar uma resposta sobre a implementação. Também conseguimos avançar no que diz respeito à gratificação de localidade do pessoal que trabalha nos municípios do interior, do vale-transporte. Vamos discutir o aumento do vale-alimentação e a questão do reajuste até a gente conseguir, pelo menos, a reposição da inflação", afirmou o professor.

Libório disse que a categoria vai continuar mobilizada, mas que, por enquanto, não há previsão de novas paralisações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos