Estudantes denunciam à OEA repressão da polícia de SP em manifestações de 2015

Estudantes secundaristas da rede pública do estado de São Paulo denunciaram hoje (7) à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA) a repressão policial nos protestos feitos pelos alunos contra a reorganização escolar no estado, no fim de 2015.

No documento entregue à CIDH, os estudantes acusam a Polícia Militar da prática de ameaças, intimidação verbal, agressões, uso abusivo de armamento menos letal e detenções arbitrárias.

Entre novembro e dezembro de 2015, mais de 200 escolas estaduais paulistas foram ocupadas por estudantes contrários à reorganização do sistema de ensino. O governo do estado planejava fechar mais de 90 unidades escolares. A organização não governamental (ONG) Artigo 19, que atua no direito à liberdade de expressão, acompanhou a audiência.

O procurador-geral do Estado de São Paulo, Elival da Silva Ramos, defendeu a atuação da PM diante da comissão. "As reações da polícia foram proporcionais em cada caso. Se houve abuso, esses abusos devem ser punidos, de fato, na forma da lei, na medida em que esses fatos sejam trazidos ao Estado", disse.

*Com informações da TV Brasil 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos