Porto Alegre: grupo ocupa Praça da Matriz em vigília contra o impeachment

Um grupo de pessoas ligadas a movimentos sociais começou hoje (11) a ocupar a Praça da Matriz, no centro histórico de Porto Alegre, em vigília contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O ato é chamado de Acampamento da Legalidade e da Democracia, e não há previsão de data para os manifestantes deixarem o local.

Durante o dia, militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) construíram as estruturas temporárias do acampamento com cortes de bambu e pallets de madeira, que depois receberam coberturas de lona. As bagagens e colchões dos manifestantes vieram em caminhões. Segundo os movimentos, a vigília reúne delegações de várias partes do Rio Grande do Sul.

O Acampamento da Legalidade e da Democracia se iniciou no mesmo dia da votação do relatório do deputado Jovair Arantes (PTB-GO) na Comissão de Impeachment da Câmara dos Deputados. Maria do Carmo Bittencourt, militante da Marcha Mundial das Mulheres, disse que a vigília dos movimentos sociais é essencial em uma semana decisiva.

"O Rio Grande do Sul tem história de luta pela manutenção da democracia. Nós queremos resgatar essa história e mostrar para o Brasil que a gente vai resistir, que não vai ter golpe de novo, que a gente já está em luta", disse Maria do Carmo.

Nasson Sant'Anna, integrante da Frente Brasil Popular, destacou que o grupo só deixará a Praça da Matriz quando o impeachment for derrotado. "Terminaremos o dia hoje com 500 pessoas acampadas e esse número vai crescer. Daqui para frente, este será um centro de resistência ao golpe que está sendo dado nesse País."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos