Prefeitura reduz período de restrição ao transporte de cargas na Rio 2016

Após negociações com integrantes da Federação de Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) e entidades empresariais, a prefeitura permitirá a circulação de caminhões de carga durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 das 10h às 16h, além do horário noturno. A regra vale de 18 de julho a 18 de setembro. A proposta original do governo municipal proibia o transporte de cargas em polígono do centro ao Recreio dos Bandeirantes e à Magalhães Bastos, na zona oeste, de 4 de julho a 18 de setembro, das 6h às 21h.

O período foi reduzido para diminuir os impactos à economia do Rio, segundo o estudo Restrições Logísticas nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016: Viabilidade e Propostas Alternativas, divulgado hoje (13), pelo Sistema Firjan. De acordo com a publicação, apenas em trecho do centro e da zona sul deve ficar mantida a restrição a caminhões pesados das 6h às 21h. Os veículos urbanos de carga e os veículos utilitários de carga poderão circular das 11h às 17h nesses locais.

O estudo aponta que o transporte à noite é inviável para muitas empresas, devido ao alto custo com o horário extra de funcionamento. A medida também aumentaria a exposição ao roubo de cargas e reduziria a capacidade de recebimento de insumos, podendo resultar em interrupção da produção de diversas indústrias e do abastecimento de estabelecimentos comerciais.

Dentro das áreas que terão restrição de horários para o transporte de cargas, estão mais de 100 mil empresas, que empregam mais de 2 milhões de trabalhadores, o que significa quase 80% da atividade econômica da cidade.

A prefeitura ainda analisa medidas específicas sugeridas pelo Sistema Firjan para reduzir o impacto das restrições em locais sem grande relação com os Jogos e no polo industrial de Jacarepaguá. Uma opção seria a adoção de rotas alternativas de acesso às indústrias, evitando riscos de interrupção da produção pelo desabastecimento de matérias-primas. O objetivo das propostas apresentadas pelo setor produtivo é viabilizar a logística dos Jogos, minimizando os riscos de desabastecimento e a paralisação da produção, o que provocaria inclusive queda de arrecadação de impostos pelos governos do estado e do município.

O estudo pode ser acessado aqui.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos