STF deve julgar hoje ação da AGU para anular impeachment de Dilma

Após encerrar o julgamento que manteve as regras definidas pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para a votação do impeachment da presidenta Dilma Rousseff,  o Supremo Tribunal Federal (STF) fez um intervalo. Agora, com a retomada dos trabalhos, o Tribunal continuará analisando nesta noite outras ações que tratam sobre o impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Ainda estão pendentes na Corte ações da Advocacia-Geral da União (AGU) e dos deputados Paulo Teixeira (PT-SP) e Wadih Damus (PT-RJ) que pedem a anulação da votação da Comissão Especial do Impeachment, que aprovou a processo de impedimento contra Dilma.

De acordo com os parlamentares e a AGU, a Comissão Especial do Impeachment violou o direito de defesa de Dilma ao permitir que os juristas Janaína Paschoal e Helio Bicudo pudessem se manifestar em uma das sessões, além de inserir na denúncia os termos de delação do senador Delcídio do Amaral (sem-partido-MS), fato que não foi objeto da denúncia original, recebida por Eduardo Cunha.

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo sustenta que a defesa da presidenta ficou prejudicada no processo e citou que, na sessão no último dia 6 da Comissão Especial do Impeachment, convocada para a leitura do relatório final de Jovair Arantes, o advogado da União substituto, Fernando Luiz Albuquerque Faria, foi impedido de apresentar questões de ordem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos