Solidariedade entra na Justiça para impedir pronunciamento de Dilma nesta sexta

O Solidariedade entrou com ação na Justiça Federal para impedir a veiculação do pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff, previsto para a noite de hoje (15), em cadeia nacional de rádio e televisão. Prevista para as 20h20, a fala da presidenta terá 8 minutos e 30 segundos. Ela deverá reafirmar que não existe crime de responsabilidade que justifique seu afastamento do cargo.

A admissibilidade do processo de impeachment de Dilma está sendo discutida nesta sexta-feira na Câmara dos Deputados, e a votação deve ocorrer na tarde domingo (17).

Para o partido, há desvio de finalidade no uso do pronunciamento em rede nacional para rebater os argumentos favoráveis ao impeachment. "Caso nada seja feito para impedir a iminente disseminação de conteúdo durante a votação, como forma de convencimento desesperado da população, tudo indica que o resultado desse processo político-jurídico seja diretamente interferido pelas manobras político-administrativas questionadas", sustenta o Solidariedade.

A ação foi distribuída para o juiz Rodrigo Parente Paiva Bentemuller, da 6ª Vara Federal em Curitiba.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos