Grupos contra impeachment fazem virada cultural em Fortaleza

Edwirges Nogueira - Correspondente da Agência Brasil

 

Manifestantes contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff começaram a se reunir hoje (16) em Fortaleza para acompanhar a votação do processo na Câmara dos Deputados. Os grupos - que integram o Movimento Ceará Contra o Golpe - realizam nesta noite uma virada cultural com apresentações musicais e organizam um acampamento na Avenida da Universidade, no bairro Benfica.

"A virada simboliza o que está acontecendo no cenário nacional e a mudança de perspectiva, que foi significativa. O evento tem o elemento da mobilização, para que os que vão votar em Brasília saibam que aqui tem um conjunto de pessoas se solidarizando e apoiando quem vota contra o impeachment e criticando quem está defendendo a posição golpista na Câmara", disse o presidente do diretório estadual do PT, Francisco de Assis Diniz.

Personagens

Manifestação em Fortaleza reuniu gente do interior e da capital

Manifestantes contra o impeachment se reuniram na Avenida da Universidade, em FortalezaEdwirges Nogueiral/Agência Brasil

O estudante de Gastronomia da Universidade Federal do Ceará, Diego Loiola, 29 anos, é um dos acampados na avenida. Para ele, a atitude reafirma os valores e as crenças na democracia. "A conjuntura mostra que a sociedade está construindo ou absorvendo valores deturpados sobre democracia. Nossa democracia conquistou inúmeros avanços e estou vendo tudo isso ser ameaçado por causa do interesse de uma elite que, apesar de ser minoria, consegue construir uma opinião hegemônica perante a sociedade por causa dos seus instrumentos de dominação, principalmente os meios de comunicação", afirmou.

A agricultora Josiana Bezerra de Sousa, 42 anos, é uma das trabalhadoras rurais que vieram de Chorozinho, na região metropolitana de Fortaleza, para acampar na avenida. Ela afirma que os governos do PT foram os únicos que enxergaram as pessoas que vivem no campo e critica a posição tomada pelo PMDB após se afastar da presidenta Dilma Rousseff.

"Ao abandonar o barco, o PMDB abandonou um bocado de gente que o colocou no poder. Para mim, foi um bando de frouxos e covardes. São diferentes de Dilma, que está lutando. Eu acredito nela e quero que ela termine o mandato."

Segundo a Federação dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares do Ceará (Fetraece), cerca de duas mil pessoas devem vir em caravanas oriundas dos municípios do interior para acompanhar a votação do processo de impeachment amanhã (17). Será montado um telão na Avenida da Universidade para transmitir a sessão a partir das 14 horas.

No mesmo horário, os grupos que são favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff se reúnem na Praça Portugal, no bairro Aldeota, para acompanhar a sessão da Câmara.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos