Líder do DEM encaminha voto sim ao impeachment

Karine Melo - Repórter da Agência Brasil

Oitavo partido entre os 25 que terão direito a palavra na sessão que analisa a abertura de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o Democratas encaminhou voto sim ao impedimento da presidenta.

O líder do partido, deputado Pauderney Avelino (AM) disse que, no relatório do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), os preceitos constitucionais preliminares para a abertura de processo contra Dilma por crime de responsabilidade foram atendidos.

Avelino disse que a consequência dos atos de Dilma é a crise que o país enfrenta. Segundo o deputado, o país vai encerrar o ano com queda de mais de 4% do Produto Interno Bruto (PIB), "gerando insegurança, desemprego e inflação".

O líder do Democratas disse que Dilma deverá ser afastada da Presidência da República porque "sua gerência arrogante resultou na inflação e na recessão que rouba dos empregos de chefes de família".

Avelino disse também que a combinação de inflação e recessão resultou na falta de confiança no país.

"O Brasil espera e depende mais do que nunca de nós nesse momento. Não somos mais uma nação conformada como éramos outrora. O povo brasileiro foi para as ruas mostrar sua indignação, devemos muito aos jovens e aos conselhos dos mais velhos e principalmente à sociedade, que disse basta", argumentou.

Ao encerrar sua fala, o líder do Democratas fez homenagens à imprensa brasileira, à Justiça de primeira instância na pessoa do juiz Sérgio Moro, ao Supremo Tribunal Federal, ao Ministério Público Federal, à Polícia Federal e ao Tribunal de Contas da União e à Câmara.

 

<< Acompanhe ao vivo a sessão>>

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos