Frente Cearense pelo Impeachment: deputados escolheram estar do lado do Brasil

Edwirges Nogueira - Correspondente da Agência Brasil/EBC

manifestantes contra o impeachment em Fortaleza

Os manifestantes contra o impeachment acompanharam a votação em telões instalados na Praça PortugalEdwirges Nogueira/Agência Brasil

Com gritos, abraços e fogos de artifício, os manifestantes a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff comemoraram em Fortaleza o último voto que consolidou a admissão do pedido de impedimento na Câmara dos Deputados. Eles acompanharam a votação em telões instalados na Praça Portugal, no Bairro Aldeota.

O sentimento de disputa ganha estava entre os presentes antes disso, quando se verificava não ser possível uma virada. Cada voto "sim" era comemorado com aplausos, enquanto os votos "não" eram criticados no sistema de som, comandado pelo coordenador da Frente Cearense pelo Impeachment, Fredy Bezerra de Menezes, acompanhados de vaias e xingamentos por parte do público.

Menezes analisa que a admissão do processo de impeachment na Câmara dos Deputados foi o primeiro passo para atingir as demandas do grupo e que os deputados decidiram estar ao lado dos brasileiros. "Nós temos muitas outras demandas para serem corrigidas e viremos às ruas quantas vezes forem necessárias. A gente espera que, como hoje, os parlamentares escolham estar ao lado do Brasil, começando por aprovar as dez medidas contra a corrupção."

Para a empresária Glória Porto, os votos a favor da abertura do pedido de impeachment significam a volta da democracia. "Todos os deputados esquerdistas só falaram em democracia, mas essa era a última coisa que eles querem. Eles querem o comunismo, o totalitarismo e o bolivarianismo. Nosso Brasil estava indo para o buraco. Hoje é uma grande vitória e, se Deus quiser, no Senado será outra."

Dispersão
Na Avenida da Universidade, no Bairro Benfica, onde os grupos contra o pedido de impedimento assistiam a sessão de votação, o público começou a se dispersar quando não havia mais possibilidade de mudança de placar. Já com poucas pessoas na avenida, o presidente estadual do PT, Francisco de Assis Diniz, subiu no palco montado no sábado (16) para a virada cultural para agradecer e incentivar os presentes a manter a mobilização.

"Vamos às ruas com serenidade, com responsabilidade, mas com o sentimento de que tem que continuar a mobilização para uma nova etapa, agora no Senado. Não podemos deixar de entender a natureza do que está em curso, que é objetivamente a retirada de direitos e a privatização da Petrobras e do pré-sal." Na terça-feira (19), a Frente Brasil Popular faz uma assembleia para definir os próximos passos até a votação do processo no Senado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos