Pichação homofóbica é refeita sobre grafiteira na zona sul do Rio

Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil

Pichação homofóbica é refeita em grafite no Rio

RafamoN, autora do grafite, já se dispor a refazer a obra, no bairro de LaranjeitasAkemi Nitahara - Agência Brasil

Um dia após militantes de esquerda terem coberto com um grafite uma pichação homofóbica e fascista feita há duas semanas na porta de estabelecimentos comerciais na Praça São Salvador, em Laranjeiras, zona sul do Rio de Janeiro, as mensagens de ódio voltaram hoje (1), inclusive na calçada.

O local recebe com frequência debates e atos contra o impeachment, promovidos pelo coletivo À Esquerda da Praça, composto majoritariamente por mulheres.

A advogada Geórgia Bello, integrante do coletivo, que participou do ato ontem, quando foi feito o grafite em uma das portas, considera a pichação uma provocação."Tinha ficado lindo, o dono da papelaria, seu Luiz, é um velhinho, tinha ficado superfeliz com o resultado. Agora vem isso, é muito ódio nas pessoas."

A artista responsável pela obra, que ganhou o nome de Pedaladas do Amor, RafamoN, já se ofereceu para refazer o trabalho e se considerou "agredida" pela pichação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos