Prefeitura do Rio quer reabrir trecho da ciclovia Tim Maia

Isabela Vieira - Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - Desabamento de parte da recém-inaugurada ciclovia Tim Maia, na Avenida Niemeyer, durante uma ressaca no mar de São Conrado, deixa mortos e feridos (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Em abril, no Rio de Janeiro, desabamento de parte da recém-inaugurada ciclovia Tim Maia, durante uma ressaca no mar de São Conrado, matou duas pessoasFernando Frazão/Agência Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro pretende convencer a Justiça a reabrir um trecho da Ciclovia Tim Maia, disse hoje (7) o prefeito Eduardo Paes. Por causa do desabamento que matou duas pessoas no dia 21 de abril, a Justiça determinou o fechamento completo da pista.

Desde o dia do acidente, a circulação estava impedida entre o trecho que vai da favela do Vidigal ao bairro de São Conrado. Porém, uma decisão da 9º Vara da Fazendo Pública mandou a prefeitura fechar também o início da ciclovia entre o Leblon e o Vidigal.

Em entrevista à imprensa hoje durante inauguração de obras na zona portuária, Eduardo Paes argumentou que não há riscos no trecho que parte do Leblon. "É quase que a calçada da comunidade do Vidigal para chegar no Vidigal. O fechamento prejudica os moradores do Vidigal. Vamos esclarecer isso ao juiz. Ali, de fato, não tem risco", assegurou.

O prefeito também disse que não pretende demolir a ciclovia, apesar de especialistas terem questionado erros estruturais no projeto e que podem explicar o desabamento.

Paes inaugurou o trecho do projeto de revitalização da Zona Portuária, que vai abrigar a tocha olímpica, além de sediar shows e apresentações culturais.

(*)  Com informações de Tâmara Freire, repórter do Radiojornalismo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos