Chuva forte provoca transtornos no Recife e deixa moradores em alerta

Sumaia Villela - Correspondente da Agência Brasil

A Região Metropolitana do Recife enfrenta uma série de transtornos causados pela chuva que cai desde a manhã de domingo (8). Nas últimas 24 horas, choveu o equivalente a 17 dias, de acordo com a série histórica do mês de maio. A prefeitura do Recife pede que moradores de áreas de risco saiam de suas casas e procurem abrigo em locais seguros.

Desde 11h de domingo, a prefeitura emitiu três alertas, via mensagem de celular, para 15 mil pessoas cadastradas que moram em áreas sujeitas a alagamentos ou em morros com risco de deslizamento. Mais de 570 famílias foram orientadas a deixar suas casas até o meio-dia de hoje (9).

De domingo até a manhã de hoje, choveu um acumulado de 180 milímetros (mm). Se a intensidade das chuvas se mantiver neste nível até as 11h de amanhã (10), a Defesa civil calcula que o volume acumulado até agora vai superar a média para todo o mês de maio, 328 mm. De acordo com o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), poderá ser a maior chuva na cidade dos últimos 30 anos.

"A chuva é ininterrupta, não houve estiagem até agora, e isso é perigoso porque áreas de morro ficam encharcadas, mais sujeitas a deslizamentos", disse o prefeito. "É por isso que ninguém deve ficar em áreas de risco depois de tantas horas de chuva."

A região mais afetada é a zona norte do Recife e o município de Olinda. Até agora, foram registrados 65 deslizamentos de pequeno porte, 13 acidentes de trânsito, oito quedas de árvores e alagamentos em diversas vias, complicando ainda mais o trânsito da capital.

A Marinha do Brasil também emitiu alerta de ressaca do mar. A previsão para a maré das 18h era de 2.4, considerada alta. Isso afeta o nível dos canais da cidade, que acabam transbordando e alagando as vias próximas.

Para monitorar e tentar resolver os transtornos causados pela chuva, a prefeitura montou um comitê que reúne órgãos de resposta e monitora todas as ocorrências da região. Cerca de 1,2 mil funcionários municipais trabalham nos casos que chegam até o Poder Público. Os moradores de áreas de risco também podem pedir ajuda da Defesa Civil pelo telefone 0800 081 3400, mas a recomendação é sair imediatamente da área de risco e buscar a abrigo na casa de parentes, amigos ou vizinhos.

Caso a pessoa não tenha para onde ir, o secretário-executivo de Defesa Civil, coronel Cassio Sinomar, diz que a orientação é solicitar uma vistoria do órgão. A equipe que atender a ocorrência pode encaminhar a família para um abrigo.

Serviços suspensos

Por causa do trânsito caótico em toda a cidade, vários órgãos públicos fecharam as portas nesta segunda-feira. A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) suspendeu as aulas e atividades administrativas no campus do Recife. A decisão vale para a tarde e noite desta segunda, e também afeta o prazo das inscrições para bolsas Luso-Brasileiras do Santander Universidades, prorrogado para amanhã.

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) também suspendeu o expediente em toda a região metropolitana da capital e determinou o fechamento dos prédios onde funcionam os serviços judiciários da área. Prazos processuais também são afetados pela suspensão.

A inauguração do Hospital da Mulher do Recife, que ocorreria nesta tarde com a participação de autoridades, também foi cancelada por causa da chuva intensa. Apesar disso, a instituição abrirá a partir de amanhã para consultas e exames.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos