Parlamento da Grécia aprova reforma fiscal e de pensões

Da Agência Lusa

O parlamento grego aprovou ontem à noite (8) a reforma fiscal e de aposentadorias, proposta pelo governo, no âmbito dos compromissos assumidos com os credores internacionais.

O primeiro-ministro grego Alexis Tsipras defendeu, no parlamento, que o sistema aprovado no domingo, na véspera da reunião do Eurogrupo, em Bruxelas, é "sustentável, sem afetar as pensões principais", e prometeu que, para mais de dois milhões de aposentados, não haverá um único euro de corte na pensão.

A legislação proposta pelo governo compõe-se de reformas das pensões, dos impostos diretos e dos indiretos, que permitirão economizar 5.400 milhões de euros por ano, para conseguir em 2018 um 'superavit' primário de 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB), como prevê o programa do terceiro resgate.

O texto foi votado favoravelmente pelos partidos que integram a coligação de governo: Syriza e Anel.

Oposição

Todos os partidos da oposição, incluindo a Nova Democracia, votaram contra a lei, que é contestada pelos sindicatos e prevê a redução das pensões mais elevadas, a fusão dos diferentes sistemas de pensões, e o aumento das contribuições, dos impostos e da tributação especial para os rendimentos médios e altos.

O projeto - intitulado "Um sistema integrado de segurança social, reforma do sistema das pensões e regulação do imposto de renda" - foi votado horas antes de os ministros das Finanças da zona euro (Eurogrupo) se reunirem extraordinariamente, em Bruxelas, nesta segunda-feira, com a agenda dedicada ao novo pacote de medidas de austeridade na Grécia, definido no âmbito do terceiro resgate ao país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos