UFF terá primeiro curso do Brasil em gestão do esporte

Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil

A Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, lançou hoje (9) o curso de graduação e mestrado profissional em gestão do esporte. A primeira turma de graduação terá início no primeiro semestre de 2017, com seleção pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O ministro do Esporte, Ricardo Leyser, que participou da cerimônia de lançamento, disse que o curso foi montado após análise das deficiências e necessidades na área de gestão esportiva no país, identificadas por um grupo de trabalho formado pelos ministérios do Esporte e da Educação e profissionais como o professor de educação física João Bouzas Marins, o gestor de futebol João Medina, o jornalista Juca Kfouri e o especialista em direito esportivo Álvaro Melo.

"A importância é muito grande no sentido de desenvolvermos a qualidade da gestão esportiva no Brasil, não basta ter uma estrutura já mais moderna, legado dessa década do esporte que nós vivemos desde os Jogos Pan-americanos, não basta os eventos em si, Copa do Mundo, Jogos Olímpicos, se nós não tivermos também uma melhoria na gestão", disse o ministro.

O curso será multidisciplinar e pretende aproximar a formação do profissional brasileiro ao que é feito de melhor no mundo. "Hoje a gestão esportiva é uma área de conhecimento muito desenvolvida e o Brasil estava um pouquinho atrás. Precisávamos melhorar essa formação profissional de todos, atletas, ex-atletas, técnicos, gestores, todos os que fazem parte dessa cadeia produtiva do esporte, para que a gente possa realmente trazer de volta o nosso esporte e o nosso futebol pro nível que é desejado por todos", acrescentou Leyser.

Entre as áreas de estudo incluídas do curso estão economia, mercado, finanças, gerenciamento de instalações esportivas, marketing, direito, organização de eventos, administração, pesquisa operacional e práticas modernas de gerenciamento e controle do esporte. Vinte professores serão contratados para ministrar as aulas. Também haverá módulos específicos com professores estrangeiros convidados.

APFut e futebol feminino

Durante o evento também foram empossados os 19 membros da Autoridade Pública de Governança do Futebol (APFut), órgão responsável pela fiscalização do cumprimento das contrapartidas obrigatórias para os clubes que aderiram ao Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut), criado pela Lei 13.155/2015.

Entre os benefícios oferecidos aos clubes estão o parcelamento de dívidas com a União e redução de multas e juros. Já as contrapartidas preveem mais investimento nas categorias de base, no futebol feminino e responsabilidade fiscal e na gestão dos clubes.

Única mulher a integrar a APFut, a ex-jogadora da seleção brasileira Juliana Cabral disse que a obrigatoriedade de investimento no futebol feminino pode melhorar as condições da modalidade. "Por essa obrigação, eles [grandes times] não têm como escapar. O clube que não estiver investindo no futebol feminino será fiscalizado, então acredito eu que seja uma grande oportunidade para o futebol feminino se desenvolver um pouco mais".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos