Renan diz que terá "relação de independência" com Temer em eventual governo

Mariana Jungmann - Repórter da Agência Brasil

 

Brasília - Presidente do Senado, Renan Calheiros, na sessão para discutir e votar o parecer do Conselho de Ética que pede a cassação do mandato do senador Delcídio do Amaral (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Presidente do Senado, Renan Calheiros, quer manter relação de independência com Michel Temer em eventual governoFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje (10) que não tratou da formação da equipe ministerial em um eventual governo do vice-presidente Michel Temer, caso a presidenta Dilma Rousseff venha a ser afastada do cargo amanhã (11) pelos senadores. Após reunião com Temer na tarde de hoje, Renan disse que quer manter com Michel Temer "a mesma relação que tem com a presidenta Dilma, de absoluta independência".

"Acho que não é o caso de o presidente do Congresso Nacional participar da formação de governo. Isso retira a independência do poder [Legislativo]", afirmou o presidente do Senado, depois de reunião com Temer na residência oficial da Presidência do Senado. 

No entanto, Renan admitiu que tratou com Temer de uma possível redução no número de ministérios e cargos comissionados no Poder Executivo e disse que apoia uma reforma do Estado. "Ele, na hipótese de assumir, está muito entusiasmado com essa reforma no Estado", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos