Exoneração do presidente da EBC repercute na Câmara

Da Agência Brasil*

A exoneração do diretor-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Ricardo Melo, repercutiu na Câmara dos Deputados. O Diário Oficial da União publicou hoje (17) decreto assinado pelo presidente interino Michel Temer em que exonera o jornalista das funções.

Em reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Carf, o deputado Jorge Solla (PT-BA) criticou a exoneração, que, segundo ele, é uma "ilegalidade cometida pelo governo Temer".

Na mesma comissão, o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI) destacou que o diretor-presidente da EBC foi nomeado uma semana antes de a presidenta Dilma Rousseff ser afastada do cargo. Para ele, é uma "bobagem" discutir o assunto. "Peço ao deputado Solla que não entre de sola na Constituição brasileira".

Já o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) disse, na reunião da CPI, que "a EBC nem deveria existir".

Ao chegar para reunião do diretório nacional do PT, no San Marco hotel, o ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República Edinho Silva disse que não há prerrogativa legal para a exoneração do presidente da EBC.

"Não sei qual o embasamento legal para a revogação do mandato do presidente, mas até onde eu conheço a legislação, o mandato está garantido por lei. Portanto, somente uma mudança na lei poderia permitir essa exoneração", disse Edinho Silva.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Comunicação da Presidência e a Casa Civil ainda não se manifestaram.

* Colaboraram Felipe Pontes e Pedro Peduzzi

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos