Jucá: integração da América Latina e Caribe é prioridade para governo Temer

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

O ministro do Planejamento, Romero Jucá, disse hoje (18), no Rio de Janeiro, que o esforço do governo deve ser concentrado na integração da América Latina e Caribe nos aspectos econômicos e sociais. A mensagem do presidente interino Michel Temer, disse Jucá, é que o Brasil "mais do que nunca, estará acolhendo, participando e contribuindo para que a América Latina e o Caribe possam cumprir o seu papel de resgatar, a cada dia, as condições melhores de vida para o nosso povo".

A declaração de Jucá foi feita em palestra na abertura da 46º Assembleia da Associação Latino-Americana de Instituições Financeiras para o Desenvolvimento (Alide). Senador há 22 anos, natural de Roraima, estado vizinho da Venezuela e da Guiana, Jucá disse que, desde cedo, defende a integração e a parceria entre os países latinos, e também a democracia.

"Temos consciência de que acabamos de viver um ciclo importante de crescimento, de acúmulo de reservas cambiais, de desenvolvimento social motivado por uma conjuntura econômica favorável da era das commodities valorizadas em um momento que foi ímpar para a América Latina e o Caribe". O ministro afirmou, porém, que o continente enfrenta um novo desafio de queda dos preços internacionais dos produtos agrícolas e minerais e precisa atuar em outras frentes que possam dar resposta rápida à necessidade de investimento, geração de empregos e de competitividade da região, atuando na linha do fortalecimento econômico.

Há necessidade, segundo Romero Jucá, de construção de uma agenda aplicada que contemple o financiamento para infraestrutura, com nova modelagem, de modo a atrair investidores nacionais e estrangeiros. Para isso, ele ressaltou a importância de que haja um arcabouço que assegure aos investidores segurança jurídica, rentabilidade, previsibilidade e estabilidade da economia. O desafio consiste em  motivar e construir o arcabouço econômico, para que os países possam ampliar as ações de investimento de infraestrutura, fortalecer a competitividade industrial, a integração regional e a promoção das exportações, afirmou.

Jucá disse ver na América Latina e Caribe uma ação complementar que precisa ser ampliada, de maneira a maximizar as potencialidades que são complementares. Para ele, os países da região são irmãos e precisam se ajudar mutuamente, com o objetivo de alcançar o desenvolvimento.

Outro desafio da região, disse o ministro, é o estímulo à inovação, à ciência e à tecnologia. "Temos que buscar essa matriz que é decisiva para o desenvolvimento da nossa economia". Citou também o desafio do compromisso ambiental que precisa superar alguns entraves para poder transformar as dificuldades em potencialidades e riqueza, visando o fortalecimento do meio ambiente e que ele seja um fator também diferencial de agregação de valor e de investimento verde.

Romero Jucá destacou ainda a necessidade de aprofundamento das políticas de educação e qualificação profissional: "Produtividade e competição em nível mundial significam educação de qualidade, formação profissional e, efetivamente, qualificação da nossa sociedade, dos nossos trabalhadores. Trabalhador qualificado ganha mais; em um país qualificado, a renda per capita (por pessoa) aumenta. Esse tem que ser, em tese, o destino final das nossas ações".

O ministro do Planejamento concluiu afirmando que o governo de Michel Temer lutará e se pautará sempre pelo processo democrático, com respeito à população e a todos os países irmãos, mas consciente de que "sozinho, nenhum país atinge o ponto que precisa atingir".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos