Após protesto, funcionários do Hospital da USP marcam reunião com o governo

Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil

Uma comissão de funcionários do Hospital da Universidade de São Paulo, em greve desde o dia 23, vai se reunir com o governo estadual no fim desta semana. A reunião foi marcada após protesto de um grupo de cerca de 200 pessoas, que caminhou na manhã de hoje (1º) da USP até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. O protesto foi encerrado por volta das 13h.

Segundo Rosane Meire Vieira, diretora do Sindicato dos Trabalhadores da USP, o eixo da greve é a desvinculação do hospital. "Somos contra o desmonte da USP e do hospital em geral e pedimos a contratação de funcionários. O Hospital Universitário tinha em torno de 1,7 mil funcionários e, em abril do ano passado, saíram 213 trabalhadores num plano de demissão e quase 300 pediram as contas ou se aposentaram", disse.

Gerson Salvador, diretor do Sindicato dos Médicos, disse que, apesar de o hospital ter sido mantido na estrutura da Universidade de São Paulo, ele foi desmontado com as demissões e o impedimento de novas contratações. "Denunciamos uma situação de desmonte que ocorre na universidade como um todo, a redução de repasses, uma estrutura cada vez maior, com mais alunos, porém sem o aumento de  recursos", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos