Operação da PF combate fraudes com seguro-desemprego no Rio Grande do Sul

Daniel Isaia - Correspondente da Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (8), no Rio Grande do Sul, a Operação Belo Monte, em conjunto com o Ministério do Trabalho e da Previdência Social. O alvo é uma organização criminosa que fraudava vínculos empregatícios para sacar benefícios de seguro-desemprego do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Os agentes cumprem sete mandados de prisão preventiva, 12 de condução coercitiva, 26 de busca e apreensão, além de outras determinações judiciais em dez municípios gaúchos: São Leopoldo, Novo Hamburgo, Sapiranga, Capela de Santana, Campo Bom, Charqueadas, Xangri-Lá, Parobé, Nova Hartz e Portão. A organização criminosa era formada por contadores, despachantes previdenciários, aliciadores e agentes do Sistema Nacional de Emprego (Sine).

De acordo com a PF, o grupo utilizou pelo menos 55 empresas fantasma para criar mais de 3,5 mil vínculos empregatícios falsos. Os contratos de trabalho forjados eram registrados de forma retroativa, como se o falso empregado já tivesse um ano de serviço. Em seguida, o grupo rescindia o contrato e requisitava o seguro-desemprego. As investigações apontam que a organização recebeu pelo menos R$ 1,6 milhão em pagamentos com suspeita de fraude. A PF estima que a prisão dos envolvidos evitará um prejuízo de mais de R$ 5 milhões à Previdência Social.

Cerca de 100 policiais federais e servidores do Ministério do Trabalho e da Previdência Social trabalham no cumprimento dos mandados e ordens da Operação Belo Monte.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos