Dilma condena intolerância e preconceito ao lamentar atentado nos EUA

Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil

A presidenta afastada Dilma Rousseff lamentou o atentado a uma boate gay em Orlando, Flórida, nos Estados Unidos, ocorrido na madrugada de hoje (12). "Estamos vivendo momentos terríveis, tempos de preconceito e intolerância que ceifam vidas humanas", disse.

Pelo Twitter, Dilma manifestou seus sentimentos às famílias das vítimas, ao presidente norte americano, Barack Obama, e ao povo dos Estados Unidos. "Vamos juntos lutar contra esta barbárie".

O guarda de segurança Omar S. Mateen, de 29 anos, entrou por volta das 2h na boate Pulse, matou 50 pessoas e deixou 53 feridos. Ele nasceu nos Estados Unidos e é filho de paquistaneses. Durante três horas, ele permaneceu na boate, onde fez reféns e foi morto pela polícia durante uma troca de tiros.

O chefe de polícia de Orlando, John Mina, classificou o atentado como "um dos piores tiroteios em massa na nossa história dos Estados Unidos."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos