Prolongamento das sanções da União Europeia contra a Crimeia entra em vigor

Da Sputnik

Entrou em vigor a decisão que prolonga por um ano, até o dia 23 de junho de 2017, as sanções contra a Crimeia. A medida foi publicada hoje (18) no Jornal Oficial da União Europeia (UE).

O comunicado diz que as restrições devem ser obrigatoriamente cumpridas pelos cidadãos da UE e pelas pessoas jurídicas com sede no bloco. As sanções "são limitadas ao território da Crimeia e da cidade de Sevastopol", de acordo com a publicação.

As restrições, impostas pela primeira vez em junho de 2014, proíbem as empresas e os residentes da UE de investir na economia da Crimeia, exportar para esta península um número considerável de produtos comunitários e importar de lá mercadorias que não tenham certificados ucranianos.
A Crimeia voltou a ser parte da Rússia após celebrar, em março de 2014, um referendo em que a maioria dos eleitores, mais de 96%, aprovaram esta opção.

As autoridades da Crimeia convocaram o referendo após a mudança de governo na Ucrânia, quando subiram ao poder políticos com posições nacionalistas.

A Ucrânia considera que a Crimeia é o seu território está sob "ocupação temporária". Os países ocidentais também qualificam este evento como "anexação ilegal" pela Rússia e aprovaram uma série de sanções contra os cidadãos, empresas e setores da economia russa. Moscou respondeu com contramedidas.

A chancelaria russa argumenta que os moradores da Crimeia votaram democraticamente e em plena conformidade com o direito internacional e a Carta da Organização das Nações Unidas pela reunificação com a Rússia, que respeita e aceita esta decisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos